Ramos

Ramo Lobinho

O ramo Lobinho (Alcatéia) é o ramo para as crianças de 6,5 a 10 anos de idade de ambos os sexos.
O programa educativo e as etapas do lobinho visam os primeiros ensinamentos para a vida no campo, vida em equipe e desenvolvimento da liderança.
Na Alcatéia a criança aprende a se preparar para, quando tiver a idade certa, seguir para a Tropa Escoteira.

O programa da Alcatéia é inspirado no “Livro da Jangal”, de Rudyard Kipling, resumido em “Mowgli, o menino-lobo”.
A organização da Alcatéia pode ser só de lobinhos, lobinhas ou mista.
O chefe pode ser chamado de Akelá e seus assistentes podem ser chamados de Baloo, Baguera, Kaa, Chill e outros nomes de animais representados no “Livro da Jângal”.

A Alcatéia é dividida em equipes denominadas matilhas, designadas cada uma com 4 a 6 crianças, nos quais são realizadas atividades de primeiros socorros, economia, trabalhos manuais, vivência no campo e jogos, diferente do sistema de patrulhas, adotada no Ramo Escoteiro ou Ramo Sênior.
O lobo é o animal símbolo de todas as matilhas, que se diferem numa mesma Alcatéia pelas cores próprias dos lobos.
A matilha é liderada por um Lobinho ou Lobinha chamado de “Primo”, auxiliado pelo “Segundo”, escolhidos pelos próprios lobinhos de sua matilha.

Ramo Escoteiro

O Ramo Escoteiro é voltado aos jovens de 11 a 14 anos de idade, de ambos os sexos. 
O programa educativo visa aumentar os conhecimentos e sua autoconfiança.
Na Tropa Escoteira o jovem aprende a conviver em equipe, a respeitar a natureza e muitas outras coisas necessárias à essa faixa de idade.

A organização da Tropa Escoteira pode ser só de escoteiros, só de escoteiras ou mista. 
A tropa é dividida em patrulhas, que são equipes de 5 a 8 jovens.
Cada patrulha tem como símbolo e nome um animal, uma estrela ou uma constelação e todos os seus membros devem conhecer suas principais características.
A Patrulha pode fazer suas próprias atividades como excursões, acampamentos etc.

Os fatos marcantes da vida da patrulha devem ser indicados no bastão e na bandeirola que é carregado pelo seu monitor. 
Este é o responsável pela administração, disciplina, treinamento, atividades e boa apresentação de sua patrulha e é ajudado pelo sub-monitor.
O Monitor é eleito pela sua Patrulha.

Ramo Sênior

A Tropa Sênior/Guia é voltada aos jovens de 15 a 17 anos de idade de ambos os sexos. 
O programa educativo visa oferecer maiores desafios e fazer com que os jovens adquiram novas habilidades para superar os obstáculos da vida.

A Tropa Sênior (masculina), Tropa Guia (feminina) ou Tropa Sênior Mista é dividida em patrulhas de 4 a 6 jovens. 
Cada patrulha adota um nome característico, que pode ser o de algum acidente geográfico bem conhecido pela patrulha ou de uma tribo indígena nacional.

Ramo Pioneiro

O Clã Pioneiro é voltado aos jovens de 18 a 21 anos incompletos, de ambos os sexos. 
O programa educativo dessa faixa etária visa aumentar a integração do jovem ao mundo, voltando-se ao serviço à comunidade e ao exercício da cidadania com base nos valores da Promessa e da Lei Escoteira.
O lema do pioneiro é SERVIR.
A unidade onde ficam os pioneiros e pioneiras é chamada de Clã Pioneiro.
A Comissão Administrativa do Clã ou o Conselho do Clã é a autoridade para tratar de todos os assuntos internos de administração, finanças, disciplina e programação.
No Clã Pioneiro os jovens já se tornaram efetivamente adultos na sociedade e estão concluindo a formação dos seus valores e princípios. Por isso, os pioneiros possuem um elevado grau de liberdade, trazendo consigo responsabilidade para, inclusive, programar suas próprias atividades, dentro e fora do Escotismo.
Dessa forma, os jovens dessa faixa etária, ao invés de possuírem um Chefe, são orientados por um Mestre Pioneiro e/ou uma Mestra Pioneira. Essas pessoas têm por objetivo instruir os jovens nos bons caminhos e só têm poder de deliberação em casos excepcionais.

O ideal do programa educativo do Movimento Escoteiro é que o jovem que ingresse no Escotismo, independentemente da idade, permaneça até o final de sua vida pioneira, para que vivencie o máximo que o Movimento tem a oferecer.

O Adulto Voluntário

Conforme o Estatuto da UEB e o P.O.R. – Princípios, Organização e Regras, os adultos podem se vincular aos Escoteiros do Brasil na condição de Escotista, Dirigente, Profissional ou Contribuinte.

O Perfil do Adulto que Necessitamos

O perfil esperado do adulto que adere ao Escotismo, seja como Escotista, Dirigente ou Profissional, e que corresponde às expectativas da entidade é aquele cuja pessoa seja capaz de:

  • Contribuir para o propósito do Movimento Escoteiro, com observância dos princípios e aplicação do Método Escoteiro no desenvolvimento das atividades em que estiver envolvido;
  • Relacionar-se consigo mesmo, com o mundo, com a sociedade e com Deus, constituindo um testemunho do Projeto Educativo do Movimento Escoteiro, com particular ênfase à sua retidão de caráter, maturidade emocional, integração social e capacidade de trabalhar em equipe;
  • Assumir e enfrentar as tarefas próprias do seu processo de desenvolvimento pessoal, no que se refere às suas próprias responsabilidades educativas, ou em função da necessidade de apoiar quem está diretamente envolvido com tais responsabilidades;
  • Manifestar uma atitude intelectual suficientemente aberta para compreender o alcance fundamental das tarefas que se propõe a desenvolver;
  • Desenvolver competências e qualificações necessárias e compatíveis com a função que se propõe a exercer, ou se já existentes, colocá-las em prática;
  • Comprometer-se com o aprimoramento contínuo dos conhecimentos, habilidades e atitudes necessárias ao desempenho de suas funções na UEB; e
  • Demonstrar apoio e adesão às normas da UEB, aceitando-as e incorporando-as à sua conduta.

Fonte: Conteúdo retirado do site oficial da União dos Escoteiros do Brasil Região de Santa Catarina, disponivel em: http://www.escoteirossc.org.br